De AM para FM – A História da Rádio Difusora de São Jorge D´ Oeste

A história da Rádio Difusora de São Jorge D´Oeste começa na década de 80, momento em que a radiodifusão brasileira avança e se consolida como importante meio de comunicação de massa.

À frente deste grande empreendimento, estavam os ex-prefeitos Egídio Veronese (Gestão 1983-1988), Ciro Poyer (Gestão 1973-1978), Orival Xavier e Genuir Veronese. O pedido de concessão se deu no ano de 1984, e em 1986 ocorreu a abertura do edital licitatório. Foram quatro anos de pleito para a conquista da licença do canal junto ao Ministério das Comunicações. 

No dia 07 de setembro de 1989 o sonho se tornou realidade; na voz do locutor Genuir Veronese, entrava no ar a Rádio Difusora de São Jorge D´Oeste com a frequência AM (Amplitude Modulada)1490 kHZ. De tão forte e presente na memória do povo, muitas pessoas se recordam da 1ª música executada pela Rádio Difusora de São Jorge D´Oeste, “Nego bom não se mistura”- Grupo Crioulo dos Pampas.

O primeiro estúdio foi instalado na Rua Concórdia, no prédio do empresário Vendolino Henz, no mesmo local funcionava a Loja Henz Magazine.Em 1993, a Rádio Difusora teve sua sede própria construída, onde encontra-se até este momento, na Avenida Iguaçu – 288, Centro de São Jorge D´Oeste.

No começo das operações da emissora, as dificuldades financeiras e a discoteca ainda em formação, fizeram com que a comunidade tivesse uma participação muito grande na estruturação deste canal de comunicação. Assim como foi prática de outras emissoras pelo País, quem participava da programação, com pedidos de músicas e recados deixava uma contribuição. E os discos, mídia utilizada na época, eram emprestados ou doados por comerciantes e ouvintes, que em troca tinham seus nomes divulgados.

Ainda nos primeiros anos da emissora, no lugar de Orival Xavier e Cyro Poyer, ingressaram na sociedade o empresário Valmir Carletto, do religioso Monsenhor Jorge Antônio da Costa Guimarães e Eliane Fátima Corti, na época estudante de Jornalismo, que recebeu as ações como presente do pai Albino José Corti (vice-prefeito na Gestão 1983-1988). A mudança do quadro societário foi aprovada em 10 de janeiro de 1991, por meio de Portaria da Secretaria Nacional das Comunicações em Curitiba. Em 15 de maio de 2002, o Ministério das Comunicações autoriza a transferência de ações e a composição societária passa a ser formada por Eliane Fátima Corti e Egídio Veronese. Em 14 de maio de 2019 o Ministério autoriza a quarta alteração contratual consolidando a entrada da médica Dra. Dayane Rocha Corti Fragoso da Silva para o quadro societário e para direção da emissora.

De AM para FM

Buscando a inovação, em 2014 a Rádio Difusora integrou o grupo de emissoras brasileiras que solicitavam a migração do sistema AM para o FM. No processo de adaptação da outorga, a Rádio Difusora recebeu a licença para operar com a frequência 100.9 (FM). A mudança no serviço possibilitou uma melhora na qualidade de áudio e transmissão.

As 17h18 do dia 05 de outubro de 2018, o mesmo locutor de 1989 (Genuir Veronese) deu início as transmissões do sinal em FM. Respeitando o período de fase experimental, no apagar das luzes do ano de 2018, dia 31/12, a Rádio Difusora encerrou as transmissões no canal AM. Após quase 30 anos na sintonia 1490, a emissora passou a operar somente na faixa FM. O ato desligamento foi acompanhado pela diretora Leila da Rocha juntamente com a locutora Elisiane Conter. A migração da AM para FM faz parte do processo de evolução do rádio brasileiro que objetiva melhorar a qualidade do sinal e tornar o rádio mais competitivo.

A Rádio Difusora é uma emissora moderna, alinhada com o novo perfil do ouvinte, voltada para o jornalismo, o entretenimento e a prestação de serviços.

Com uma programação diversificada, a emissora se envolve com o cotidiano da comunidade e ajuda a construir a cidadania, abordando, debatendo e trocando ideias sobre assuntos que estão presentes na vida e no dia-a-dia das pessoas.

Rádio Difusora 100.9 FM, a emoção está no ar 24h por dia!