Moradora em SC pendura máscaras para doação em comunidades carentes

Thu, 21 May 2020 09:48:26 -0300 / 0 Comentários

Iniciativa já distribuiu 200 máscaras para moradores em Florianópolis. Comerciante orienta sobre uso do item e prevenção ao coronavírus. Projeto surgiu após promessa por causa da pandemia.


As árvores de uma das regiões mais carentes em Florianópolis ganharam outro significado durante a pandemia do novo coronavírus. Com suas sombras e galhos usados muitas vezes para garantir a diversão de crianças de comunidades no entorno do Monte Cristo, na região continental de Florianópolis, agora elas dão novos frutos: Máscaras faciais que são penduradas para doação.
A 'Árvore da Saúde' foi iniciativa de uma moradora. Junto dos itens de segurança, ela pendura corações de papel e mensagens de carinho e de prevenção à Covid-19. A comerciante Maritza Fabiane já doou 200 máscaras em ao menos quatro comunidades e ocupações.
"Comecei na pracinha na frente da minha casa e as pessoas pediram para fazer em outras comunidades aqui próximas. Agora duas vezes por semana vou fazendo aqui. Também vou fazer na frente do posto de saúde, tem uma árvore linda ali e observei que muitas pessoas vão para o posto sem máscaras", diz a comerciante.
Muitos dos moradores dessas comunidades onde ela pendurou as máscaras em árvores enfrentam dificuldades financeiras e até sanitárias. Sem televisão ou internet, recebem poucas informações sobre o coronavírus.
"Muitas pessoas não sabem o que é a doença, o que ela está fazendo no mundo. Muitos não estão atualizados sobre o coronavírus e vou explicando o que sei, que tem de usar a máscara, que tem de ser mais de uma, para lavar antes de usar de novo, tudo isso eu explico", conta.

Iniciativa após promessa
A gratidão, além da observação de quem vê diariamente pessoas sem máscaras, fez ela adaptar uma outra iniciativa que já tinha feito antes, pendurando livros nas árvores.
"Fiquei quase 30 dias com comércio fechado e comecei a vender máscaras para manter a casa. Fiz uma promessa que, se conseguisse manter a loja durante essa pandemia, eu ia doar 10% do que arrecadei vendendo máscaras para ajudar as pessoas. E juntou que todos os dias percebo no meu entorno que muitas pessoas não usam máscaras", detalha.
Voluntários se uniram à moradora para conseguir máscaras e garantir a distribuição para mais pessoas. O uso do acessório é obrigatório em Florianópolis em estabelecimentos e também em alguns locais públicos.
"Esse projeto é simples e um ato de amor ao próximo. A árvore tem poder de sua semente crescer e dar novos frutos. Com essas máscaras a gente faz o bem, protege as pessoas, a comunidade Desejo muito que outras pessoas façam isso em bairros periféricos, a periferia precisa de ajuda", diz.
"Eu queria muito lançar um desafio entre comunidades, sabe. Eu queria que outras pessoas que moram em outras comunidades fizessem a mesma coisa, para ajudar o nosso povo, fazer esse lugar mais confortável, mais prazeroso, melhor pra se viver", completa.
g1