Câmara decreta perda do mandato de vereador

Fri, 01 Nov 2019 10:51:46 -0200 / 0 Comentários

O vereador Adriano Jonatas Dallagnol, que atuava em Pinhalzinho, teve a perda de mandato decretada pela Câmara Municipal. Ele foi condenado pela Justiça por tráfico de drogas e associação para o tráfico. A defesa afirmou que vai recorrer da decisão da Câmara.

A votação pela perda do mandato ocorreu na terça-feira (29) e foi unânime. Adriano Jonatas Dallagnol, conhecido como Maninho Dallagnol, foi condenado em 1º grau e teve recurso negado em 2º grau. Ele está preso preventivamente em Chapecó, desde uma operação da Polícia Civil feita em abril de 2018. Dallagnol e o irmão dele faziam tráfico de cocaína e ecstasy, conforme denúncia do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

A perda do mandato de vereador foi determinada pela Justiça. "A lei orgânica do município, com o regimento interno, regra que a votação da perda do mandato, a expedição do decreto, é competência privativa do plenário da Câmara", explicou o assessor jurídico da Casa, Jean Marcus Salvador. "É uma mera formalidade. Mas é necessária essa formalidade para, inclusive, comunicar o Cartório Eleitoral", completou.

Dallganol foi condenado a oito anos de prisão.

Operação

Na operação que prendeu o vereador, o pai deles também foi preso, mas em flagrante, por posse irregular de arma de fogo de uso permitido e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. As prisões ocorreram durante a Operação Retomada.

A polícia prendeu ainda um rapaz de 20 anos pelo crime de associação para o tráfico de drogas. Segundo a denúncia do MPSC, ele revendia os entorpecentes comprados de Dallagnol e do irmão para usuários de Pinhalzinho.

G1